​Formação em Psicanálise

Em sua história, a primeira direção do Instituto foi eleita em 1994 e a primeira turma de candidatos (atualmente denominados Membros do Instituto) iniciou no ano de 1995. Portanto, em 2020 completamos 25 anos ininterruptos de transmissão da psicanálise através de nosso Instituto.

formacao-psicanalitica.png

- Formação Geral -

A Associação Psicanalítica Internacional (IPA), fundada em 1910 por Sigmund Freud, é composta por 81 sociedades, em 50 países, com 13 mil Membros no Mundo. Estas instituições de transmissão e estudo da psicanálise se dividem, por sua vez, em sociedades psicanalíticas e institutos de formação.

 

O Instituto de Psicanálise da Sociedade Brasileira de Psicanálise de Porto Alegre é o lugar da Instituição que recebe pessoas interessadas em seguir o singular percurso da formação de um psicanalista. Um trabalho de filiação e de diferença na invenção do caminho para ser psicanalista. Trata-se de uma zona de Construção, com um Modelo de Formação inspirado na valorização da liberdade e da autonomia, um percurso de autoria, no qual formação significa uma especial forma de ação, autoria de uma praxe conceitual teórico-clínica.

A trajetória de formação se constitui por requisitos compostos por: análise pessoal, supervisão e seminários, que irão compor um tripé onde se apoiará o saber psicanalítico. A ideia norteadora é transmitir os fundamentos conceituais da psicanálise, com o estudo da obra de Freud e de autores que ampliaram o saber presente nela.

A formação em nosso instituto é composta por 32 seminários, dos quais metade deles (50%) versarão sobre a obra de Freud, com ênfase no modelo conceitual, da teoria, do método e da clínica. A outra metade dos seminários é constituída por obras de autores que por autores que desenvolveram a psicanálise posteriomente, "bem como por quatro seminários clínicos, com diferentes coordenadores. Cada seminário tem no mínimo 16 encontros por semestre. O ingresso nos seminários se realiza nos meses de março e agosto.

Devem haver no mínimo duas supervisões, de livre escolha pelos colegas em formação entre os membros titulares em função didática. A duração mínima das supervisões será de 80 horas. Para concluir a Formação são necessárias a entrega e a aprovação dos relatórios de supervisão e do trabalho teórico clínico de conclusão.

 

Em 2020, o nosso Instituto completou 25 anos de transmissão do saber psicanalítico. A primeira diretoria do Instituto foi eleita em 1994, e o primeiro grupo iniciou a formação em 1995.

psicanalise-infantil.png

Formação Integrada em Psicanálise da Infância e Adolescência

No ano de 2008, o Instituto de Psicanálise da SBPdePA deu início à formação de psicanalista de infância e adolescência. Primeiramente, os estudos nessa área foram autorizados para psicanalistas que haviam concluído os seminários curriculares da formação geral.

Em 2016, esta foi incluída na Formação Geral, passando a denominar-se Formação Integrada em Psicanálise da Infância e Adolescência, permitindo, aos interessados nesta área, a frequência em seminários específicos, desde o início da formação psicanalítica.

A proposta de uma formação integrada surgiu de um comitê da IPA, coordenado e incentivado pela Dra. Virginia Ungar, que sustentou ser legítima a constatação de que os conceitos psicanalíticos sobre o desenvolvimento se configuram como parte importante da teoria. A experiência analítica com crianças e adolescentes permitiu elaborar novas teorias que não só afirmam como confirmam que os processos inconscientes estão presentes em todos os seres humanos. Sendo assim, a análise de crianças e adolescentes oferece um campo de emergência e produção fecunda para a psicanálise, que enriquece a formação psicanalítica e permite maior compreensão do funcionamento de adultos em sofrimento psíquico.

A Formação Integrada é composta pela observação da relação mãe-bebê (método Esther Bick e sua realização é obrigatória no período de um ano, sendo o segundo ano opcional). Os interessados que já realizaram esta atividade, mesmo em outra formação prévia ao ingresso no instituto, poderão validá-la, mediante a apresentação de comprovante da instituição anterior.

As supervisões irão se constituir por dois casos, um de infância e outro de adolescência, com 50 horas para cada caso. Será validada a supervisão da formação Geral caso tenha sido de uma criança ou adolescente. As supervisões deverão ser realizadas com um Membro Titular, analista de crianças e adolescentes pela IPA, com função didática na SBPdePA.  Será exigido um mínimo de três sessões semanais.

A conclusão da formação Integrada será considerada após o término dos seminários curriculares, da apresentação e aprovação das supervisões através dos relatórios de supervisão e da aprovação de ficha de trabalho teórico-clínico em área específica.

Portanto, para o reconhecimento da formação integrada em infância e adolescência se faz necessário o término da formação geral com adultos e o atendimento de todas as obrigações estabelecidas pela comissão de formação em Psicanálise da Infância e adolescência do Instituto de Psicanálise da SBPdePA.

Observação da Relação Mãe-Bebê

Método Esther Bick

A observação da Relação mãe-bebê é obrigatória na Formação Integrada, durante um ano. O segundo ano é opcional. Quem já vivenciou esta observação pode apresentar um comprovante da Instituição na qual realizou.

O método Esther Bick propõe a observação da relação de uma díade mãe-bebê. Através da observação da dupla, busca-se instrumentalizar o psicanalista em formação na percepção do originário/primitivo do psiquismo. O observador gradualmente entra em contato com o não-verbal, sintonizando sua escuta a partir da não intervenção.

Seminário Aberto

Análise Condensada

 

Os postulantes à Formação Psicanalítica ou Membros do Instituto que não residem na cidade de Porto Alegre estão autorizados a realizar “Análise Condensada”.

 

Ela é realizada em, no máximo, duas (2) sessões diárias, em dois (2) dias da semana, tendo cada uma das sessões a duração regulamentar de quarenta e cinco (45) a cinquenta (50) minutos, na frequência mínima de três (3) sessões semanais.
   

O analista escolhido deverá ter Função Didática conferida pelo Instituto de Psicanálise da SBPdePA.
 

 

Os  Seminários  Abertos foram criados no segundo semestre de 2016, contemplando módulos de quatro (4) seminários ministrados à noite, fora do horário em que os seminários curriculares tradicionalmente ocorrem.

 

A coordenação desses encontros fica por conta de convidados de outras áreas da cultura (eixo transdiciplinar) ou da área psicanalítica (eixo psicanalítico).

 

São abertos para não-membros da SBPdePA, que se inscrevem mediante pagamento.

 

Ocorrem nas segundas-feiras, das 20h30min às 21h45min, e são divulgados com antecedência.
 

Associação dos Membros do Instituto (AMI)

DIRETORIA DA AMI:

Presidente:

Thércio Brasil
 

Vice- Presidente:

Carmen Prado Nogueira
 

Secretária:

Luciana Busetti
 

Tesoureira:

Camila Reinert
 

Conselheiras:

Marcela Pohlman e Nora Steffen
 

São denominados Membros do Instituto todos os analistas em formação junto ao Instituto de Psicanálise da SBPdePA.
   

A Associação dos Membros do Instituto (AMI) congrega e representa todos os seus membros nas reuniões do Instituto, junto à Diretoria da SBPdePA ou em âmbito nacional (junto à Associação Brasileira de Candidatos – ABC), latinoamericano (junto à organização de candidatos da América Latina – OCAL) e internacional (junto à International Psychoanalytical Studies Organization – IPSO).
   

A AMI é composta por Presidente, Vice-Presidente, Secretário, Tesoureiro e Conselheiros.

Image by Oleg Laptev
formacao-psicanalitica.png

Como ingressar na Formação em Psicanálise?

O postulante à Formação em Psicanálise deverá ser graduado em Medicina ou em Psicologia e apresentar solicitação por escrito à Direção do Instituto que será entregue na secretaria. Dois (2) Membros Titulares com Função Didática Plena realizarão a entrevista.


    A Comissão de Formação informará o resultado ao postulante em um prazo de quinze (15) dias, a contar do recebimento do resultado da avaliação.


    A aprovação terá validade de dois (2) anos e expirará se, neste prazo, o postulante não tiver iniciado sua análise para formação. Uma vez vencido o prazo, o postulante deverá apresentar novo pedido.


    Caso o postulante seja recusado, poderá renovar a solicitação após três (3) anos da primeira avaliação.